Arquivo de maio \21\UTC 2012

Semana de agenda cheia para Fundaçao Matutu e CER-Serra do Papagaio

Da esquerda para direita: Catarina Romaneli, da prefeitura de Itamonte, Maurício Gouvea, do Codema de Baependi, Ricardo Toledo, técnico pela prefeitura de Baependi e Marco Aurélio Serafim Santos, da Emater

A segunda reunião do Núcleo de Apoio ao CER-Serra do Papagaio, ocorreu na quarta-feira, dia 16.  Ticiana Lopes, da Micro-região São Lourenço do Sebrae, juntamente com Daniela Timponi, da gerência de políticas públicas reiteraram o apoio do SEBRAE a esta iniciativa. A reunião durou cerca de oito horas (manhã e tarde). Entre outras deliberações, os técnicos que compõe o NACER ficaram incumbidos de fazerem os levantamentos necessários e iniciarem a convocação das lideranças das comunidades para as reuniões de formação do Conselho Participativo do CER. Este Consórcio, além de ser o primeiro do Brasil voltado ao Ecodesenvolvimento é também o primeiro consórcio público a contemplar um Conselho Participativo em sua composição. A importância deste Conselho é imprimir ações de gestão participativa na medida em que o Conselho, uma representação legítima da população, poderá indicar as necessidades e demandas a serem atendidas.

Para ver o que mais rolou nessa reunião, clique neste link e veja o álbum de fotos.

Encontro do CER-Serra do Papagaio com HS consultoria


Momento descontraído, finalizando a reunião entre o CER-Serra do Papagaio e representantes da HS Consultoria que durou todo o dia 17

Dando continuidade às ações para ampliar a atuação do CER, os prefeitos que compõe o Consórcio se reuniram na quarta e na quinta-feira com consultores da HS – consultoria para definirem o escopo de inclusão em ações do Governo Federal. Foram duas reuniões de avaliação e apresentação de possibilidades, já que a região, composta pelos cinco municípios apresenta peculiaridades que se destacam, no turismo e na localização, além disso, o fato de estarem unidos em um Consórcio pode facilitar ações que seriam, muitas vezes inviáveis para os municípios conduzirem de forma individual. Mas, como disse Hérica Santos, diretora da HS, as ações são muitas, será possível envolver os municípios com um mutirão de projetos, mas temos que correr contra o tempo.

Veja outras fotos aqui.

Reunião com AMANHÁGUA, define trabalho conjunto para divulgação do CER


Na sexta-feira a diretora executiva da Fundação Matutu, Maria Dorotéa Naddeo, se reuniu com Mônica Buono, presidente da OSCIP Amanhágua. A convite da Mônica, Dorotéa ficou conhecendo a sede da OSCIP e a conversa se prolongou no bom jeito mineiro, entre um café e outro, dentro da aconchegante cozinha na sede da Amanhágua. Mônica Buono falou das necessidades da região e sobre o projeto “Mensageiros Ambientais“, que consiste no treinamento de 15 pessosas das comunidades rurais do entorno do PESP para visitarem residências de proprietários rurais levando informações e cartilha sobre o meio ambiente. A diretora executiva da Fundação Matutu ressaltou a importância de termos na região  entidades que se dediquem em diferentes áreas ao desenvolvimento sustentável, assim, unidas poderão realizar um bem maior voltado para as comunidades, neste sentido, a Fundação Matutu encaminhará proposta de inclusão de atividade no treinamento dos “Mensageiros”. A ideia é que eles sejam também divulgadores do Consórcio de Ecodesenvolvimento Regional da Serra do Papagaio.

Anúncios

, , , ,

Deixe um comentário

Simulação testa condições de combate a incêndios florestais em Minas

Apoio aéreo é essencial para transporte de equipamentos e pessoas. Foto: Janice Drummond

O Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) realizou nesta sexta-feira (18/05), um Simulado Operacional de Combate a Incêndios Florestais no Parque Estadual da Serra do Papagaio, na região Sul do Estado. A atividade faz parte de uma série de treinamentos que estão sendo realizados nas unidades de conservação estaduais para aperfeiçoar o trabalho de combate ao fogo.
A atividade teve início às 18 horas do dia 17 de maio quando uma moradora do entorno do Parque informou, por telefone, ter avistado chamas no Pico do Santo Agostinho, a uma altitude de 2,2 mil metros acima do nível do mar. Imediatamente foi acionada a Força-Tarefa do Programa de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais de Minas Gerais (Previncêndio) do Governo de Minas que enviou reforços e uma aeronave que chegaram ao Parque às 5h40 do dia 17.
O simulado envolveu cerca de 50 pessoas e todos os equipamentos empregados no combate ao fogo, incluindo um helicóptero. Participaram da atividade integrantes da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros Militar e da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), do Instituto Estadual de Florestas (IEF), que administra o Parque Estadual da Serra do Papagaio, além de 14 brigadistas voluntários da região.

Simulado

Helicóptero do Sisema leva equipamento para combate a incêndio florestal simulado em área de difícil acesso na Serra do Papagaio. Foto: Janice Drummond

O trabalho reproduziu todas as condições de um combate ao fogo, desde a identificação dos sinais de fumaça, emissão dos primeiros alertas até a confirmação do incêndio florestal de grande porte e que exigiu a participação da Força-Tarefa Previncêndio. Os simulados são uma iniciativa inédita em Minas e uma das inovações previstas no Plano de Ação 2012 para Prevenção e Combate a Incêndios Florestais.
“O objetivo maior é dar respostas ainda mais rápidas no combate ao fogo em seu início”, afirma Ana Carolina Miranda Lopes de Almeida, superintendente de Controle e Emergência Ambiental da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad). “Até o final de junho serão realizados sete simulados para testar as medidas preventivas de cada unidade de conservação”, completa.
O Plano de Ação 2012 é composto por seis programas operacionais: prevenção e controle, capacitação, combate, infraestrutura e logística, comunicação, fiscalização e investigação. O programa prevê ações para reduzir as causas e os riscos de propagação do fogo, a capacitação de todos que participam dos trabalhos de controle dos incêndios e a elaboração de planos e estratégias de combate em função do tamanho do incêndio e dos meios disponíveis.
Um dos principais objetivos do simulado é a implementação do Sistema de Comando de Operações, ferramenta utilizada pela Cedec em situações críticas. “É fundamental criar condições, durante a operação, para que cada um execute da melhor forma possível sua missão”, afirma o assessor da subsecretaria de Fiscalização e Controle Ambiental, o capitão do Corpo de Bombeiros, Anderson Passos.
“O sucesso no enfrentamento de situações como o incêndio florestal, que reúne diversas pessoas de diferentes instituições, depende da organização eficiente dos esforços, da definição e divisão de funções durante o combate ao fogo”, explica Passos. “No caso da Serra do Papagaio, onde o terreno montanhoso e o clima frio da Serra do Papagaio impõem condições difíceis ao trabalho e que exige o uso de aeronave, cada movimento realizado precisa ser bem pensado”, completa.
O Parque Estadual da Serra do Papagaio possui 22.917 hectares inseridos nos municípios de Aiuruoca, Alagoa, Baependi, Itamonte e Pouso Alto. A unidade de conservação está localizada na região da Serra da Mantiqueira e abriga um importante remanescente do bioma Mata Atlântica, além de formações mistas de campos e áreas com matas de araucária.
Na área da, concentram-se as nascentes dos principais rios formadores da bacia do rio Grande, responsável pelo abastecimento de grandes centros urbanos do sul de Minas. Engloba ainda conjuntos montanhosos das Serras do Garrafão e do Papagaio, apresentando cerca de 50% da área com declividade acentuada e altitudes acima de 1.800 m. As encostas mais elevadas localizam-se no sul (Morro da Mitra do Bispo com 2149m) e ao sudoeste (Pico do Bandeira com 2357 metros).

Em 2011, quatro incêndios atingiram a área interna do Parque e queimaram cerca de 3,4 mil. Outros sete foram registrados no entorno do Parque, atingindo 3,5 mil hectares. Em 2012, não foram registrados incêndios na unidade de conservação.

Fonte:

Assessoria de Comunicação
Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema)
(31) 3915.1844

2 Comentários

Fogo Zero em 2012

A gerência do Parque Estadual da Serra do Papagaio-PESP uniu, os proprietários, a polícia militar do meio ambiente e o Ministério Público do Estado de Minas Gerais em uma reunião com o objetivo de esclarecer e convocar a todos para um trabalho em direção à redução total de incêndios florestais na região do Parque. Este trabalho faz parte da ação  do IEF, seguindo os objetivos e metas definidos pelo  Previncêndio para o ano de 2012.

Lantelme foi enfática em apresentar dados sobre os incêndios do ano anterior e garantir que está trabalhando, junto com os proprietários de terra, para não repetir o mesmo desastre quando chegar a seca. Este, em Baependi, é o primeiro de 4  encontros que ocorrerão em municípios vizinhos ao PESP, os proprietários presentes puderam obter esclarecimentos sobre formas de proteção contra incêndio, discutir e entender as diversas causas, incluindo o fogo descontrolado. Por sua parte, o Ministério Público do Estado de Minas Gerais, representado pelo  Dr. Bergson Cardoso Guimarães, promotor de justiça da Coordenadoria Regional das Promotorias de Justiças do Meio Ambiente da Bacia do Rio Grande, reiterou que estamos em um novo tempo e que, neste momento, o Ministério Público está muito mais interessado em aconselhar e evitar demandas que punir; claro que as leis existem para serem cumpridas, mas levar a compreensão às pessoas sobre suas responsabilidades pode evitar grandes demandas e gerar muitos benefícios, principalmente quando se fala de meio ambiente.

Durante a primeira Reunião do Plano de Prevenção de Incêndio do PESP-2012,  o Sargento Martins, da divisão da polícia ambiental de Aiuruoca, salientou a necessidade do repasse da informação, com clareza e segurança, para que todos os envolvidos, seja o PESP, seja a polícia, sejam os brigadistas e/ou vizinhos, tenham condição de agir com rapidez no caso de um incêndio. Demonstrou conhecer bem a vida do campo e as dificuldades daqueles que moram nas comunidades rurais do entorno do Parque. Nasceu na região e foi “menino de roça”, hoje trabalhando do lado da lei e em defesa do meio ambiente, não esquece que apoiar, ensinar e participar são ações importantes para evitar atitudes punitivas.

Agenda de encontros:

Baependi – dia 13 de maio – 13 horas;
Itamonte – dia 15 de maio  – 13 horas;
Alagoa – dia 23 de maio – 13 horas;
Aiuruoca – dia 25 de maio – 13 horas.

Para ver mais fotos deste evento, clique neste link

Deixe um comentário

Novas possibilidades para os municípios do CER-Serra do Papagaio

Da equerda para a direita, em pé: Vicente Wagner Pereira, prefeito de Pouso Alto, Jair Agostini, Maria Dorotea Naddeo, diretora executiva d a Fundacao Matutu, Elias Raid, da Vime, Guilherme de Melo Franca, presidente da Fundacao Matutu, Paulo Senador, prefeito de Aiuruoca. Sentados: Marcos Tridon, prefeito de Itamonte e presidente do CER-Serra do Papagaio, Efrain Lemos, prefeito de Baependi e Leonardo Linhares, consultor da HS-consultorias especiais

Os prefeitos dos municípios de Aiuruoca, Baependi, Pouso Alto e Itamonte, estiveram reunidos, juntamente com representantes da Fundação Matutu, durante o 29º Congresso Mineiro de Municípios, no dia 10 de maio. O Presidente do CER-Serra do Papagaio, e prefeito de Itamonte, Marcos Tridon convidou a todos para uma reunião em Belo Horizonte, para apresentar uma proposta de desenvolvimento conjunto dos cinco municípios. A proposta é ousada e será mais um marco na implantação deste Consórcio, que por sí, já é um avanço para a gestão compartilhada e a conquista de melhores condições de vida para todos os municípios e comunidades envolvidas.
Marcos Tridon, trouxe como proposta, a elaboração de projetos para apresentação,  através do CER, ao Ministério do Turismo, já que a região é propícia a atender demandas para a copa de 2014 e olimpíadas de 2016. Tridon diz – “Temos altitude, água pura, ar puro e localização geográfica que viabilizam a participação de nossa região no processo de atendimento de turistas e atletas para esses eventos”. “Estamos situados na região com o segundo maior número de leitos turísticos do estado, com cerca de 7000 leitos. O primeiro lugar  é de Belo Horizonte”, emendou o prefeito de Pouso Alto, Vicente Wagner Pereira. Todos consideraram a ideia muito bem-vinda e se comprometaram em trabalhar para torná-la uma realidade rapidamente.
O processo dependerá de agilidade e da intervenção de empresas de consultoria que foram apresentadas na mesma reunião. A Fundação Matutu esteve representada por seu presidente, Guilherme de Melo França, e sua diretora executiva, Maria Dorotéa Naddeo. A condução da apresentação ficou a cargo de Leonardo Linhares e Elias Raid das empresas HS Consultoria e Vime, que atenderão pontualmente os municípios, através do CER-Serra do Papagaio. Para ver todas as fotos do encontro, clique neste link.

Deixe um comentário

Reunião com a diretoria executiva do CER, em Itamonte

O diretor executivo e o presidente do CER-Serra do Papagaio, Juliano Diniz e Marcos Tridon, respectivamente, atentos à Dorotéa Naddeo, da Fundação Matutu enquanto informava sobre as metas alcancadas dentro do Convênio firmado com a SEMAD e sobre a reunião do NACER

A diretora executiva da Fundação Matutu, Maria Dorotéa de Aguiar, o diretor executivo do CER-Serra do Papagaio, Juliano Diniz e o presidente do CER, Marcos Tridon estiveram reunidos por quase toda a manhã do dia 2, na Prefeitura de Itamonte. Na pauta, assuntos como os próximos passos do Consórcio, as sugestões de encaminhamentos para capacitação e formação do corpo de servidores para o CER, ações legais, trâmites e decisões de cunho estrutural. Ficou definida uma nova data para reunião  do CER-Serra do Papagaio, com a presença dos cinco prefeitos  consorciados, a saber: Paulo Senador de Aiuruoca, Sebastião Mendes Neto, de Alagoa, Efrain Lemos de Baependi, Vicente Wagner Pereira de Pouso Alto e Marcos Tridon, prefeito de Itamonte e presidente do Consórcio.

Deixe um comentário

Sebrae de São Lourenço recebe a Fundação Matutu

Dorotea Naddeo, diretora executiva da Fundação Matutu, e Ticiana Lopes da micro-regiao de São Lourenço do SEBRAE

Ticiana Lopes, técnica do SEBRAE- São Lourenço, responsável por ações da Entidade na região, recebeu em seu escritório, no dia 2 de maio, a diretora executiva da Fundação Matutu, Dorotéa Naddeo para alinhamento de questões, agenda e informações sobre a participação do SEBRAE no Núcleo de Apoio ao CER-Serra do Papagaio-NACER.
O SEBRAE tem sido parceiro da Fundação Matutu, apoiando vários projetos e neste (implantação do CER-Serra do Papagaio), tem acompanhado desde o princípio, fornecendo suporte para várias ações.

Ticiana reiterou que deseja participar e que estará presente na próxima reunião do núcleo em, 16 de maio.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: